sexta-feira, 22 de abril de 2011

O que o filme RIO tem haver com o Brasil??



Assisti esta semana, no cinema, o filme de animação “RIO”.
Bem, eu não sou crítico de cinema nem especialista na área, mas depois que terminou o filme me senti na obrigação de dizer alguma coisa...

O filme é divertido e muito bem produzido. O bom humor e a qualidade técnica são de encher os olhos de quem gosta do gênero animação.

Entretanto, algumas coisas me incomodaram e desejo compartilhar com você.
Por ter sido dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha (que trabalhou na franquia “Era do Gelo”), eu não esperava ver nosso país, cultura e povo, cair em certos “clichês” e visões distorcidas que outros países do mundo têm sobre nós.

Infelizmente, foi o que acabei assistindo neste filme (que tinha tudo para ser um espetáculo não só técnico, mas também de intercâmbio cultural, permitindo que o mundo conhecesse melhor o Brasil pelos olhos dos brasileiros).
Ele mostrou que o povo brasileiro é simplesmente “festeiro”, abobalhado e malandro. Um povo que vive na favela e ganha a vida desonestamente, larga tudo para cair no carnaval sem preocupação nenhuma com a vida. Sem falar da piadinha na qual o casal de araras-azuis saem quicando de um lado para o outro, batendo em várias coisas e, entre elas, para não faltar com um clichê básico, tinha uma “bunda carnavalesca”.

Não estou querendo ser puritano ou do contra, nem quero negar os problemas e realidades presentes em nossa cultura ou povo. Mas me questiono, por que sempre apresentamos o Brasil para os outros deste modo? Será que isto é tudo o que temos a oferecer e o que somos como povo: bunda, carnaval e malandragem?

É claro que o diretor e o roteirista tinham que fazer escolhas que fossem interessantes para a história, que a deixassem divertida e cheia de momentos engraçados. Mas me incomodou o fato da maioria dos personagens brasileiros que apareciam fossem simplesmente bobos, desengonçados ou desonestos. Senti falta de algo.
Claro que a escolha de passar a história do filme durante o carnaval do Rio de Janeiro deu a oportunidade de vender a festa para o mundo. Todos sabemos de sua beleza e animação com os carros alegóricos, fantasias, belas mulheres, muito samba (e do bom!), e as imagens produzidas pelo filme (com suas cores e o realismo do desfile) enchem os olhos com a beleza do evento. Mas isto não resume o que é o Brasil!

Talvez eu esteja sendo muito exigente com os que fizeram este filme. Certamente eu não seria capaz de fazer melhor, pois não tenho a imaginação nem a técnica necessários para isso. Também não dava para eles colocarem em um filme de uma hora e meia tantos temas ou abordagens, eles precisaram fazer escolhas e escolheram aquilo que vende no mercado, pois se o filme não reder dinheiro não haverá outro trabalho.

Porém, eu gostaria de ver a beleza de nossa gente retratada de outros ângulos. Queria ver não só a beleza das cores tropicais na tela, mas também o brasileiro honesto e trabalhador, que leva a sério a luta pelo pão de cada dia e tem orgulho disso; não só o brasileiro “bandido, preto e pobre” (outro clichê), mas o brasileiro solidário que sabe se colocar próximo dos outros na hora da necessidade; o Brasil não só do samba, mas da pluralidade musical e cultural, tão ricas que talvez precisássemos de uma centena de filmes para explorar; o Brasil não só da bunda e da festa, mas também o Brasil que têm um “cérebro entre as orelhas”; enfim, um Brasil que muita gente ainda não conhece pelo mundo afora.

Quero terminar este texto dizendo que não estou fazendo campanha contra o filme, ao contrário, acho que devemos todos prestigiá-lo, pois, afinal, foi dirigido por um brasileiro e realmente oferece uma diversão leve e para toda a família. Porém, penso que devemos ter um olhar atento a tudo que vemos e ouvimos, mesmo que seja um inocente filme de animação como este. Pelo menos, para mim, este filme deu o que pensar...
Até a próxima!

(Você não precisa concordar comigo. Assista ao filme e tire suas próprias conclusões)

3 comentários:

  1. Oi meu amigo, eu ainda não assisti o filme, mas tb pensei nisso qnd vi o trailer e nele tinha popozuda.. fiquei de cara e ate comentei aqui com Daverson que afff pelo amor de Deus ate na animação qnd se fala em Brasil tem que ter a bunda...adorei seu ponto de vista e concordo com ele, apesar de não ter visto o filme ainda, me deixou curiosa, agora quero assistir ... kkkkkkkkk, mas assino em baixo com tudo que colocou.. forte abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Eu não vi nenhuma mentira, tudo que foi retratado é o que o Rio de Janeiro é, perigoso, "festeiro" e lógico uma cidade muito bonita.

    ResponderExcluir
  3. ... aonde há também os que se preocupam com bem-estar das pessoas e dos animais.

    ResponderExcluir

Um Deus humano para um humano divino

Olá pessoal. Faz mais de um ano que não passo por aqui! Aconteceram tantas coisas que acabei deixando um pouco de lado este espaço. Pr...