Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Partida trágica...

Esta postagem é apenas uma manifestação simples de alguém que sente a partida de um amigo.

Pe. Jerônimo, natural de Santa Luzia na Paraíba, foi meu contemporâneo de seminário, colega de turma de Pe. Carlinhos, Pe. Claudenis e Pe. Chadas de nossa diocese.

Convivemos por cinco anos no Seminário Arquidiocesano da Paraíba Imaculada Conceição. Ele concluiu os estudos um ano antes do que eu, em 2005, sendo ordenado padre, se não me engano, no ano seguinte.

No seminário sempre foi alguém de iniciativa e criativo. Gostava de cantar e realmente tinha uma bela voz. Gostava de esporte, de música, era esforçado nos estudos e querido nos trabalhos pastorais.
Trabalhamos juntos por um ano fazendo atividades pastorais na paróquia de Nossa Senhora da Assunção em Alhandra - PB, quando nos aproximamos e criamos uma boa relação de amizade.

Eu gostava do seu sorriso alegre e meio menino, do jeito como ele levava as coisas a sérios, mesmo que não fosse tão necessário, da dedicação que tinha diante das responsabilidades assumidas, do zelo em preparar a liturgia no seminário...

É verdade que ele tinha também seus defeitos. Alguns o achavam meio "nariz empinado" ou exibido, mas do que eu pude conhecê-lo isso era mais impressão do que realidade. Vou guardar as lembranças boas de nossa convivência no seminário, da boa amizade que tínhamos...

Depois que terminamos o tempo do seminário ele voltou para sua diocese em Patos e eu voltei para Mossoró. Perdemos aos poucos o contato, mas pude estar presente em sua ordenação.

O corre corre da vida e a distância nos afastou, nos falamos pouco nesses últimos tempos, mas o carinho da amizade continuou sempre presente.

Pe. Jerônimo exerceu seu ministério naquela Igreja Particular de Patos até recentemente, quando foi acometido de um sério problema de depressão e, por isso mesmo, encontrava-se com suas funções limitadas para poder dedicar-se ao cuidado de sua saúde.

No último dia 21/09 ele saiu da casa de seus parentes e desapareceu, provavelmente acometido de uma crise, permaneceu desaparecido até a tarde do dia 27/09, quando foi encontrado morto. Todos os sinais indicam que ele tirou a própria vida,  mas a perícia ainda estava examinando o corpo até este momento em que escrevo.

Quero deixar aqui a manifestação pública do meu pesar pela partida deste irmão de caminhada. Partiu cedo (aos 33 anos), partiu tragicamente, vai deixar saudade no coração dos amigos e familiares.
Quero também solidarizar-me com os familiares e o clero da diocese de Patos. Contem com nossas orações.

Dai, Senhor, a este teu servidor, Pe. Jerônimo, o descanso e a paz em teu Reino.
Perdoa suas fraquezas, concedei-lhe contemplar a Vossa face. AMÉM!

Pe. Augusto Lívio


2 comentários:

  1. É LAMAMENTÁVEL MESMO AUGUSTO. QUE DEUS O COLOQUE NUM BOM LUGAR. E ESTOU SEMPRE DO SEU LADO PARA O QUE DER E VIER. CONTE COMIGO SEMPRE.GIGI

    ResponderExcluir
  2. Que coisa triste, Pe. Augusto!
    Contudo, somos humanos e estamos sujeitos a fraqueza de nossa própria humanidade temporal. Que o Senhor o acolha em seu Reino! Vou rezar por ele e por sua família. Abraço!
    Telma Carlos

    ResponderExcluir