Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de março de 2012

Coisas que não compreendo...

Olá amigos e amigas!

Desculpem o tempo sem postagens, mas muitas atividades me tiraram do ar. Porém, estou de volta e quero comentar algo que vi neste fim de semana no fantástico e que sempre me chamou a atenção.

Acredito que vocês viram as reportagens sobre propina, desvio de dinheiro público e sobre o problema da Jampa Digital, em João Pessoa - PB.

Não vou fazer análise das reportagens, pois não tenho todas as informações nem sou especialista no assunto. Desejo comentar outra coisa que essas reportagens me provocaram: por que é tão fácil para a imprensa descobrir esses crimes e torná-los públicos com evidências bem concretas e o sistema de justiça não consegue fazer o mesmo?? Será que a nossa imprensa é mais competente que o sistema de justiça do nosso país para investigar crimes?? Será que os repórteres são mais bem treinados para a investigação e levantamento de provas do que nossos policiais e investigadores??

Sempre fico admirado como só depois de uma reportagem como essa é que a justiça se manifesta e "abre investigações sobre o caso". Parece uma mágica!! É como se alguém dissesse: " Oh, meu Deus! Meu bigode está pegando fogo, mas eu não estava vendo!! Obrigado por me avisar!! Vou apagar o fogo e salvar o que sobrou!!"

É uma piada para mim esta situação. Só pode ser!! Porque não vi nem ouvi nenhuma explicação convincente sobre esta situação.

Eu tenho uma teoria (muito pessimista, para ser sincero).

Nosso sistema político: Legislativo, Executivo e Judiciário, com todos os órgãos a eles ligados, estão podres por dentro...
Existe um esquema de silêncio e acobertamento no qual a grande maioria (Deus queira que não sejam todos) está envolvida. Sabem o que acontece, participam das falcatruas, e no fim, ninguém diz ou sabe de nada. Isto porque se eu apontar para seu bigode sujo eu corro o risco de que você aponte para o meu mais cedo ou mais tarde.

Os organismos responsáveis em investigar e prender os criminosos nesses meios não podem trabalhar porque  são justamente seu superiores os responsáveis por esse sistema corrompido. Deste modo nada pode avançar porque ninguém vai dar um tiro no próprio pé..

Gostaria de descobrir um modo de enfrentar tudo isto. O sentimento de revolta, de indignação, de humilhação, de angústia e impotência que sinto me faz pensar se vale a pena acreditar que esta coisa toda que chamamos de Brasil tem jeito. Parece que todo mundo está somente preocupado em levar vantagem, pois até em meio aos pobres também encontramos muitos que querem uma fatia deste "bolo público" se tiverem a oportunidade.

Não sei mesmo o que fazer!! Uma revolução não resolve, pois quem me garante que depois os que assumem o poder não vão reproduzir os mesmos esquemas de corrupção? A história está aí para provar o que estou dizendo..

Idealizamos que queremos ser honestos, justos e bons, mas na prática, se temos a oportunidade, somos mesquinhos, egoístas e corruptos..

É claro que existem exceções! É claro que tem gente boa e decente nesse país, mas me parece que ou são minoria ou não tem coragem de enfrentar esta situação ou, talvez como eu, se sintam impotentes diante de um sistema corrupto e corruptor, que silencia os que se opõe a ele como se fossem criminosos terríveis.

Desculpem-me amigos e amigas leitores, por este desabafo, mas não podia ficar sem pelo menos dizer algo, já que não consigo fazer outra coisa no momento.

Gostaria que as pessoas que lessem este texto pensassem seriamente sobre seu papel nesta sociedade, que refletissem no que podem fazer para fazer diferente, porque se não, aquele ditado que diz "A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE", vai deixar de existir... Só nos restou a ESPERANÇA para tentar mudar esta situação, entretanto, ela esta agonizando e, mesmo sabendo que ela é a "última que morre", não esqueçamos que isso significa que um dia a ESPERANÇA pode MORRER. Temo que este dia não esteja tão longe...

Vamos procurar caminhos e salvar ainda a ESPERANÇA para ver se fazemos uma história diferente em nosso país.

Um forte e fraterno abraço!

Pe. Augusto Lívio

Um comentário:

  1. A sensação de impotência é maior quando somos forçados a viver o inverso da situação: onde deveríamos ser protegidos e zelados, ocorre justamente o contrário; pessoas que possuem cargos (muitas vezes confiados por nós) para nos garantir uma vida mais digna, são as que nos roubam, literalmente. Isso nos constrange, nos preocupa, mas não pode, não pode nos tirar a esperança. Se o mal se espalha, muitas vez é pela "omissão nossa de cada dia". É a ausência de Deus nos corações e na vida das pessoas que as tornam cada vez mais egoístas, prepotentes, com os olhos fechados para o todo. Me solidarizo com você em suas dores, sua preocupação. Não podemos nos calar, o silêncio dos "bons" é mais irritante que o grito dos "maus". Façamos o que nos cabe, sem reservas, denunciando, expressando nossa opinião, nos unindo aos demais, às milhares de vozes que estão no anonimato por esse Brasil a fora. Damos audiência demais a essa sujeira toda. Propaguemos o amor e sejamos incansáveis na oração. Jesus sempre denunciou as injustiças, mas nem todas ele pôde transformar (apesar de ter poder para isso). Penso que devemos ter a humildade de agir assim também, fazendo o que nos cabe, o que está ao nosso alcance e confiando ao Pai todos os impossíveis. Fazendo tudo o que estiver ao meu alcance, dando o melhor de mim, em tudo e à todos, olhar com misericórdia a humanidade e poder olhar para dentro de mim e dizer: "Quando Jesus passar, eu quero estar no meu lugar", sei que não terei "gritado" em vão, lutado em vão... Sejamos fiéis até o fim. Não estamos sós!


    "Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça"


    Abraço, cheio de esperança! Malu.

    ResponderExcluir